O guia definitivo da tapioca para não errar mais!

o guia definitivo da tapioca

A tapioca é nossa! Presente desta terra rica, derivada da raiz mais saborosa, a mandioca! Já comprei muita tapioca hidratada no mercado, mas desde que aprendi hidratar em casa e fazer minha goma não consegui achar mais graça nas prontas. Quer seja pelo tempo de prateleira, armazenamento inadequado, transporte ou outro motivo, nunca estão tão fresquinhas, geralmente estão bem secas e empelotadas.

Percebi que muita gente tem dúvida em relação a esta massinha branca e delicada então resolvi reunir neste post tudo que aprendi até hoje sobre ela! Hidratar, colorir e adicionar sementes!

Polvilho doce, goma do Norte, tapioca desidratada, fécula de mandioca são tudo farinha do mesmo saco! Todas são o carboidrato presente na mandioca, sem glúten que faz maravilhas na cozinha brasileira! Pão de queijo, tapioca, beiju, vai me dizer que esta raiz não é sensacional!? Hahaha sou fã assumida da mandioca!

Vamos a parte que mais surgiu dúvidas?

o guia definitivo da tapioca
Hidratando a tapioca

O guia definitivo da tapioca: hidratando

Seja a goma seca, o polvilho doce a tapioca desidratada ou a fécula a forma é a mesma é muito mais simples que se imagina! Eu faço sempre a proporção 1:2 (para cada uma parte de tapioca, duas de água). Para cada 200 g de goma 400 ml de água, esta quantidade aqui em casa é ideal para 2 cafés da manhã.

Todos os segredos para uma tapioca perfeita
Tapioca hidratando e repousando

Coloque a tapioca e a água em um recipiente, misture e reserve por 2 horas. Você perceberá que a tapioca decantou e ficou lá no fundo da vasilha, verta com cuidado a vasilha na pia e dispense esta água sem medo, a tapioca continuará lá no fundo e a água será a única coisa que você jogará fora!

o guia definitivo da tapioca
Retirando a umidade da

Forre uma peneira com um guardanapo de pano limpo (aqui em casa tenho um separado só para a tapioca) e verta a tapioca neste pano para perder a umidade, isso leva umas 2-3 horas, você saberá a hora tocando a superfície da massa, ela estará sequinha!

Se o dia estiver muito úmido, daqueles nublados e sem sol polvilhe por cima com farinha de mandioca, ela absorvera a umidade, retire com uma colher antes de peneirar, ela não se junta a goma, só passar a colher e ela sairá toda úmida!

o guia definitivo da tapioca
Farinha de mandioca para retirar a umidade

Guia definitivo da tapioca: hora de peneirar

Massa seca chegou a hora de peneirar! Aconselho que você utilize uma peneira de metal com tramas mais larguinhas, a trama de plástico para mim foi um fiasco, demorou muito mais!
Coloque aos poucos a massinha esfarelada na peneira (ela depois de decantar vira uma pedra só, esfarele com as mãos para facilitar) e aperte com a mão ou com uma colher até passar toda a massinha pela peneira. Guarde em geladeira por até 5 dias.

Esta é a forma que faço por aqui, mas se estiver com pressa tem a maneira express:

Para cada 500 g de polvilho junte 275-300 ml de água, misture bem esta farofinha com as mãos, deixe descansar por uns 15 minutos e peneire da mesma forma! Esta forma não me agrada, pois é preciso ter uma certa intimidade com a massa de tapioca, você terá que verificar se realmente os grânulos estão úmidos, se você já fez da forma anterior saberá exatamente do que estou falando, os grãozinhos devem estar bem molhadinhos, caso não esteja vale molhar mais um pouquinho, soltar com as mãos e verificar, se molhou demais tbm tem salvação, adicione um pouco mais de polvilho, de uma misturada com as mãos e verifique se está ok!

Repito, este é um método para quem já tem alguma pratica ou precisa de uma emergência! Eu costumo fazer o método anterior sempre, hidrato quando estou preparando a janta, 2 horas depois retiro a água e coloco o que decantou no Pano de prato e se tá com climinha fresco deixo a noite descansar para peneirar pela manhã e ter minha tapioca fresquinha no café!

CONGELA!

Todos os segredos para uma tapioca perfeita
Tapioca congelada

No guia definitivo da tapioca, não poderia deixar de fora as dicas para congelar.

A boa notícia é que dá para congelar a goma prontinha para usar! Conversando com a Ana do Ana Claudia na Cozinha ela me disse esta maravilha! Hahahaha Eu que era acostumada a fazer de 3-3 dias agora faço semanalmente! Depois de passar na peneira coloque porções em saquinhos que vão ao freezer.

No dia anteriorm coloque para descongelar na geladeira, de manhã você só terá o trabalho de passar pela peneira novamente para retirar eventuais gruminhos que possa ter formado. Congelei em pacotes de 400 g, que é a média que usamos aqui em casa para o café da manhã/tarde, somos em 3 glutões! Testa ai a maneira que melhor funciona para você!

Todos os segredos para uma tapioca perfeita
Tapioca colorida

Colorindo a massa

Dá para deixar esta delícia ainda mais bonita e nutritiva! Substitua o líquido conforme a imaginação mandar!

Todos os segredos para uma tapioca perfeita
Tapioca hidratada com suco de couve

Cúrcuma diluída em água, beterraba batida no liquidificador com água e passado na peneira, da mesma forma com folhas de couve (que dão um show de cor!), suco de uva, café… Só substituir a água na receita! Dá para brincar bastante com as opções!

O guia definitivo da tapioca: adicionando mais sabores!

Com a massa de tapioca pronta e peneirada você pode (e deve) adicionar sementes que deixarão tudinho muito mais nutritivo e contrastante! Sementes de chia, linhaça triturada, coco, sementes de girassol, gergelim, ervas secas, queijo coalho raladinho… Dá para pirar nas possibilidades!

Para cada 2 colheres cheias de goma de tapioca, adicione 1 colher de café das sementinhas antes de levar na frigideira.

Enfim, fazendo seus discos!

fazendo os discos de tapioca
tapioca na frigideira

Com a frigideira fora do fogo adicione 2 colheres bem cheias da goma hidratada e já peneirada. Polvilhe na frigideira de forma que forre o fundo igualmente. Quando não adiciono sementes coloco as 2 colheres na peneira e vou desenhando este fundo até ficar bem distribuído.

Então, vou apertando a goma com a mão e ela vai caindo fofinha na frigideira. Se necessário, acerte com uma colher as laterais empurrando para o centro para que as bordinhas fiquem iguais. No entanto, não aconselho nivelar a massa no centro com colher.

Isso porque, ela pode rachar e você terá que completar as rachaduras com mais goma! Então, tente deixar ela niveladinha na hora de polvilhar a massa na frigideira. Ademais, se faltou algum pedacinho nada impede de colocar um pouco mais de tapioca!

Tem quem adore ela gordinha, tem quem prefira bem fininha. Nesse sentido, é ao gosto do freguês! Eu amo ambos! Hahaha

tapioca com brigadeiro e morango
tapioca com brigadeiro e morango

Disquinho formado hora de levar a frigideira ao fogo! É muito rapidinho, deixe no fogo médio/baixo (fogo alto não adianta). Você verá a farinha se agrupando. Depois, verá as bordas começarem a se soltar. Isso, é questão de 1 minuto ou menos! Com uma espátula vire o disquinho e asse por mais alguns poucos segundos o outro lado, se vai adicionar recheio esta é a hora!

P.S.: É tudo bem rápido mesmo! Se ficar muito tempo na frigideira terá um beiju crocante. No entanto, não que isso seja ruim. Mas, aquele puxa que te vem à cabeça quando pensa em tapioca não vai existir! Então, fique atenta! A bordinha começou desgrudar já faça o teste de passar a espátula por baixo da massa. Porém, se estiver toda ligada, é hora de virar!

tapioca na frigideira

 

Recheio

O recheio não tem muita regra não. Nesse sentido, pode ser tudo que sua imaginação mandar (ou tiver na geladeira). Ou seja, pode ser a tradicional de manteiga, queijo e presunto, carne seca, frutas, doce de leite e muitas outras opções.

Pronto, essas são as nossas dicas para preparar esta delícia que está cada dia mais na nossa mesa. Aliás, se você tem alguma dúvida ou dica do preparo ou recheio, compartilhe nos comentários!

Por fim, outras receitas nordestinas para você fazer em casa:

Olá! Eu sou a Ariana Pazzini.

Eu criei esse blog para compartilhar receitas simples do dia a dia para famílias. Hoje em dia já não faço parte do blog porém as receitas continuam no meu coração.

Inscreva-se agora para obter as melhores receitas todas as semanas!

7 respostas

  1. Meus parabéns, uma das melhores abordagens que eu já li.
    Moro no Panamá e aqui não encontramos nema farinha nem a goma ou fécula. Estou fazendo em casa (apartamento?
    Outro dia comprei dez kg de aipim (aqui Yuca) e ao espremer o baģaço parte do líquido coloquei num balde e parte numa bandeja retangular. A do balde no dia seguinte já estava decantada e a tabuleiro rendeu muito pouco e a água ficou turva e amarronzada. Jogo fora ou aguardo mais alguns dias. Meu receio é virar polvilho azedo. Grato pelo retorno.

    1. Olá Lacy!
      Esse processo é feito de um dia para o outro, não recomentamos que você espere mais dias.
      Além disso, a água decantada deverá ser ligeiramente turva, mas não escura e marrom.

  2. Pingback: 12 itens indispensáveis na cozinha vegana | A casa encantada
    1. Ahhhhhh sua linda!!! Vc não tem ideia do tamanho do meu sorriso aqui! Obrigado! ❤️ espero que ajude quem ainda não se aventurou nesta delicia! Beeeeijooo!

  3. Ariana de Deus!!! Nunca mais uso a goma comprada pronta direto na frigideira!!
    Amanha vou comprar e fazer esse processo…
    A parte do congelamento super me interessou!!!
    Amei o post, como sempre, super bem explicadinho!!!
    bjos

    1. Deia sua linda! Obrigado por tanto carinho! Congelar aqui em casa virou rotina Pq este negócio de produzir para o blog deixa sempre uma incógnita se tera algo pra comer ou nao! Hahaha então sempre ou faltava goma prontinha ou mofava por falta de uso! A Aninha me salvou com esta ideia!!!! Amo ter vc por aqui! Beijooo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Receitas pra você

Carne seca com abóbora: receitas de dar água na boca

A combinação de carne seca com abóbora é muito famosa na culinária, afinal, essa mistura é muito saborosa e vai bem em muitos pratos diferentes, desde entradas, pratos principais,…

10 molhos para petiscos e porções: opções deliciosas!

Os molhos fazem toda a diferença quando estamos apreciando uma deliciosa porção, não é mesmo? Em lanches e salgados, como um saboroso Shawarma ou uma bela esfirra de carne…

O que é yakisoba? Aprenda tudo sobre esse prato delicioso!

O yakisoba é um prato muito popular na culinária japonesa, e significa literalmente “macarrão frito em molho”. É um prato feito com macarrão refogado com legumes e proteínas, temperados…

Aprenda a fazer Shawarma, o famoso prato grego

O Shawarma é uma receita que já ganhou o coração dos brasileiros. Seja como comida de rua, prato de um restaurante ou até uma receita caseira, esse sanduíche é…

Shimeji na manteiga: delicioso e nutritivo!

O shimeji é um dos cogumelos mais presentes na culinária japonesa e asiática em geral. Rico em “Umami” e de sabor inconfundível (um dos cinco sabores básicos da Ásia…

Salada De Lentilha: Rápida e Super Saborosa!

Se tem uma coisa que não dispenso é uma boa salada. Quanto mais variada melhor. Por isso, sempre faço questão de compartilhar minhas aventuras com verduras, leguminosas e grãos…